Futuro presidente do PSDB, Alckmin diz que não sabe se fechar questão ajuda governo a aprovar reforma


Futuro presidente do PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou nesta terça-feira (5) não saber se um eventual fechamento de questão pelo partido ajudará o governo a aprovar a reforma da Previdência Social.

Na prática, quando um partido fecha questão em torno de um determinado assunto, pode punir parlamentares que votarem de maneira contrária à orientação da legenda.

Segundo a colunista do G1 Andréia Sadi, dirigentes de partidos aliados do governo discutem com o presidente Michel Temer a possibilidade de fecharem um “pacto” para que nenhuma sigla aceite na janela partidária de 2018 deputados que votarem contra a reforma.

“Política é convencimento. O que eu puder fazer para ajudar no convencimento eu farei. Se [o PSDB] vai fechar questão ou não vai fechar questão, não sei se isso ajuda ou não, aí é uma questão do Diretório [nacional] e da bancada. Pelo estatuto, é a Executiva e a bancada que decidem”, disse Alckmin nesta terça.

O governador de São Paulo deu a declaração após participar de uma reunião com deputados do PSDB, em Brasília.

 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o presidente Michel Temer, durante evento no dia 2 de dezembro, em Limeira (SP) (Foto: Alan Santos/PR)

Para Alckmin, “não há unanimidade em nenhum partido” em relação à reforma.

O tucano disse avaliar, porém, que ainda há espaço para parlamentares serem convencidos a votar a proposta.